domingo, 9 de setembro de 2007

Ops...parada errada

Você não lembra como chegou a esse ponto com o valium guiando suas lembranças e a cerveja esquentando no copo e a sua volta vozes conhecidas e você tenta interagir mas não consegue proferir nenhuma coisa que pareça ter nexo e em meio a delírios tenta voltar pra casa. Um intervalo,um rápido clarão vazio e a sua parada ja passou a alguns minutos. So resta descer e rumar a pé em meio a tombos numa jornada que não parecia ter mais fim. Sua casa era perto mas nunca pareceu tão longe que você chegou a ter dúvidas até sobre a existência dela. Nesse caminho num corredor polonês de perguntas que insistem em lhe acompanhar sua casa enfim está a sua frente. A porta é aberta enquanto tantas outras foram fechadas pra você, mas sorrisos,fumaça,o gosto da bebida e o sol na sua cara você ainda consegue lembrar olhando pela fechadura de uma dessas portas. Você olha pra cama e desaba vencido pelo dia que segue correndo até se findar se tornando outro dia com portas fechadas e muitas delas trancadas por você. Trancadas por dentro, mas sempre restando uma aberta. E você dorme sentindo o cheiro do café novo.

3 comentários:

simone disse...

ahUahuAHUahuaHUAahUahuHAUE

valiummm do satanasssssssssssssss

smp perco as melhores partes ;x

Himmler, Yargo disse...

aff...nda como descer na parada errada pra pensar em coisas inuteis, ou uteis d+ pra se pensar...

Clarissa Marinho disse...

eu quando ando de onibus penso em tanta coisa q muitas vezes quase perdi a parada!
bom o texto!