domingo, 9 de setembro de 2007

Indo de encontro a um muro


As vezes se sente um tamanho descontrole como um carro desgovernado indo na contramão passando por cima de tudo. Talvez tenham pena de você ou simplesmente não entendem ou não querem entender,mas você não é uma vítima ou um pobre coitado que precise de piedade. É uma bomba relógio, uma ameaça que precisa de um tiro certeiro talvez, um escroto que sabe que nunca esteve na merda sozinho e que esse mundo não tem um filho único. Todos filhos mortos em seus escritórios,com seus empregos,relacionamentos,sua cultura, sua arte,seu prato vazio,sua doença venérea,sua família,suas doenças,suas crenças,sua falta de grana e tudo que compõe a humanidade. Tudo isso afirma que a humanidade é um aborto e não existe e por mais que se negue isso ao longo do tempo tem se provado ser um fato carente questionamentos. E sabe por que? porque você é só um número,pois nos mesmos criamos números pra nos definir e afirmar no nosso grau de importância nesse planeta. Se você não tem a numeração suficiente você simplesmente não existe. Sem rumo indo de encontro a um muro você pode chegar a conclusão que o seu maior problema é você, mas sempre tentou fugir colocando a responsabilidade em tantas coisas que agora não importa mais a autoria do crime. Todo mundo é cúmplice nesse inferno que criamos. E você mutilou todos os seus sonhos mas quando percebeu o que fez era tarde demais e não se podia fazer nada além vê-los sangrar.

4 comentários:

simone disse...

por mais voltas q vc da eh smp vc msm..

Ana Carla disse...

Igor,
e a sua navalha na caneta!

Himmler, Yargo disse...

mais uma analise pessimista...mas eu gosto d ler, me faz pensar em sentidos q eu normalmente não penso...em frequencias diferentes uehuehUehuEh...

Clarissa Marinho disse...

Igor e seu pessimismo!Ja vi sonhos meus sangrarem,mas acho que o importante é continuar sonhando,e é isso q eu tento fazer.Tente vc tb!hehehe