domingo, 19 de agosto de 2007

A trilha sonora para o fim do mundo.

Essa semana consegui uma aquisição pra minha coleção de videos que me deixou muito satisfeito. Um dvd da clássica banda punk, Dead Kennedys. mas e dai? o mais engraçado são os fatos que se seguem nos dias posteriores a minha compra. Sexta feira como de praxe, teve show no galpão 14, e estava rolando um tributo ao "rei do rock" Elvis Aaron Presley, e logo me veio a cabeça o bar da tapa(recanto universitário) cujo dono era cover do Elvis, mas hoje brinca de cover de Edir Macedo sugando a renda suada dos fiéis que são estupidamente desesperados com suas vidas sem perspectivas. Minha última lembrança do bar foi quando depois de um ensaio fui com parte da banda beber umas cervejas e escutamos jovem guarda que ja estava rolando e the smiths que eu tinha levado na mochila. Mas o rei esta morto e o maldito bar parece que se tornou uma igreja. So me restava numa sexta feira assustadoramente entediante encher a cara com uns amigos e ver o tal show tributo ao rei. Valeu os 3 reais gastos ja que as bandas fizeram um bom show e tiveram um animador de platéia que consegue ser mais impactante que um show, o ja famoso camarada ébrio e rocker pré-histótico conhecido como jurubeba. Esse escroto sempre apronta causando desconforto em muita gente , mas é garantia de boas risadas e foi interessante ver a turminha rock'n'roll onde tudo é belo parou nos anos 60 mas tem todas as vantagens dos atuais avanços tecnológicos e recebe a mesadinha do papai, chocada com as traquinagens do velho headbanger baiano.
Integração não estava nos meus planos pro sábado, mas sim ensaiar e encher a cara. Bem não fui pra integração, mas quem encheu a cara foi uma amiga minha, e o ensaio me surpreendeu. E depois cá estou escrevendo essas linhas estúpidas que mais parecem a porra de um diário deveras enfadonho. Realmente foi um sábado estranho gostaria realmente de estar alcoolizado no momento, mas para meu espanto eu quis ficar em casa como se não houvesse motivos pra nada além de ficar na monotonia contínua do meu quarto. Você deve estar lendo e pensando: "coitado do cara! é mais um desses solitários que se isolam do mundo" . O mundo é que se isola de todos sendo indiferente com todos porque esse planetinha não passa de uma latrina imunda que ninguém ta afim de enfiar a mão na merda pra limpar. Coitado de mim com os meus reveladores textos pertubados? coitado de você que ta lendo essa bosta com seu ar de superioridade e todo a sua cultura que so é usada pra vomitar o quanto você é especial é único pra humanidade. Coitados são todos que vivem nesse mundo e acham que seu sofrimento é importante ou que alguma mágica,Deus,livros de auto ajuda ou aquela pessoa que te da um orgasmo realmente bom e faz juras e planos. Pobre daquele que realmente acha que isso tudo faz diferença ao ponto de dividir o mundo entre escolhidos e não escolhidos. Mas qual foi sua boa ação do dia? o que você fez pra se sentir melhor consigo mesmo? ter pena é o que chamam de ajudar?! era melhor ter esfaqueado o cara até ter a certeza de que ele não seria reconhecido nem pela mãe.
Sempre que escuto devo lembro do conceito da banda sobre a humanidade n estar evoluindo mas sim o contrário e exemplos disso são rotina mas é so "relaxar e gozar não é mesmo? mas quando penso nisso tudo sempre chego a conclusão que essa porra devia acabar numa grande esbórnia,uma farra descomunal daquelas que não deixa um em pé. A solução seria o fim do mundo. Hehehe...o problema é que acho que ele ja acabou mas esqueceram de avisar pra ele. Logo me veio a pergunta: "qual seria a trilha sonora do fim do mundo?" logo me lembrei do dvd, so veio o Dead Kennedys com músicas rápidas e urgentes como a rotina das grandes cidades e toda sua falta de comunicação entre seus habitantes gerando uma paranóia coletiva. Guitarra rápida e certeira como um soco na cara cuspindo riffs de surf music e acompanhada de um baixo que parece uma nave decolando e prestes a se espatifar indo de encontro a um muro e tudo isso com uma bateria que parece o barulho de uma metralhadora. Uma banda declarando guerra ao ouvinte é o que me faz escutar eles com a mesma empolgação de quando os descobri com 14 anos num k-7 que um amigo me gravou. Vendo o vídeo eles tocando num estúdio a música era holiday in cambodia e enquanto tocam passam cenas do que chamamos de humanidade, uniformizada e com armas na mão chacinando algumas familias, o que é realmente um ótimo entretenimento. Logo o vocalista jello biafra entra em cena se contorcendo como se estivesse tentando se livrar de um camisa de força e a música explode como uma bomba bem na sua frente e o estrago causado é irreparavel. Elvis,Devo e Dead Kennedys num texto que parecia ser sobre o final de semana mas que acabou indo pra outra direção mas que na verdade não foi porra nenhuma e você caiu direitinho nessa. Mas o que tenho certeza é que o Dead kennedys é uma boa trilha sonora pro fim. Um apocalipse resumido em 3 minutos e 44 segundos de ódio descarregado pra todos os lados como um kamikaze cumprindo sua missão de destruir tudo por perto pois sua única função é essa. Acabar com tudo.

Um comentário:

HARRISON disse...

dead kennedys é mó legal cara!

óbvio, depois gostaria de uma cópia do dvd ;]