domingo, 12 de agosto de 2007

Aumenta que é rock! (mas pode aumentar até estourar as caixas?)


Foram 3 dias de esbórnia, pessoas confusas, garrafas voando,videos esclarecedores(ou não) e rock'n'roll(nem sempre fazendo jus a esse titulo) . Muito se falou antes, durante e depois desse festival, mas e o os bastidores imundos e fétidos como o banheiro do galpão 14 cheio de mijo,latas de cerveja boiando e alguns entorpecentes usados para aditivar o dia que talvez tenha extrapolado os limites em relação a perda total de lucidez que um ser humano pode chegar depois de doses cavalares de substâncias variadas. Sexta feira posso dizer que existiram bons shows mas uma apresentação em particular gostaria de apagar da memória, mas como isso aqui não é nenhum tipo de auto ajuda vamos logo pular pro dia mais movimentado.
Sábado era o dia dos cariocas beberrões(será?) do matanza, que por sinal proporcionaram uma boa baderna, mas nada comparado a videos bizarros e pessoas e atitudes tão bizarras quanto. uma chuva de garrafas proporcional um show a parte na entrada do galpão 14, o que seria um sinal que o povo tava animado pra festa, todo mundo na instiga de ter um pouco de violência além do sexo,drogas e rock'n'roll ja de praxe. Sexo por sinal foi algo que,reza a lenda, rolou nesse festival e me veio logo em mente o woodstock e aquele bando de hippies cheios de ácido na cabeça correndo pelados e falando um monte de merda. ácido não tinha, mas no rock sempre se da um jeito de "viajar" pois se aumenta é rock ? ficar alto foi uma gíria comum pra chapado e isso tinha de sobra no lugar. O povo gosta de ser óbvio e isso ta na cara. Não estou fazendo nenhum sermão anti-drogas, até porque tenho uma relação bem interessante com entorpecentes mas me veio uma pergunta durante todo o sábado. alguém sabe realmente o que é um festival? bandas existem uma vez por ano e depois todo mundo hiberna em suas garagens?creio que não meu amigo, rock se faz não é com sexo e drogas não(com isso também) . É com ousadia e muito suor derramado com todo o tempo dedicado a uma atividade que geralmente não leva a porra nenhuma mas que quem faz costuma se viciar e pra largar é bem pior do que qualquer droga fodona que tem por ai. Mas o rock não precisa de redenção não é mesmo?! ele sempre necessitou de boas doses de perdição para compor sua história tão conturbada e cheia de defeitos mas extremamente sincera.
Essa encheção de saco toda talvez seja pra chegar a uma conclusão um tanto quanto cômica se não fosse trágica. Rock é um bichinho domado e inofensivo que foi amanssado por gente que achou que o estilo tava desbocado demais e por gente que se conformou em calar a boca e fingir de morto. Nenhuma novidade nisso tudo,é o que torna a situação mais preocupante,ainda mais depois de constatar que no domingo dia da ressaca depois de tanta porra louquice no sábado, acabou se tornando não um dia da ressaca, mas uma prévia do dia de finados. Então o que se tem como conclusão é que temos uma "cena " ausente e que em todos esses anos realmente não existiu uma preocupação de nenhuma das partes em fazer algo, não para salvar, mas alguma coisa além de reclamar com o seu rabo sentado numa mesa na feirinha ou na frente de um pc,coisa que é tão relevante quanto a programação dominical exibida pelas emissoras de tv e que lobotomiza milhares de familias a cada semana. Toda essa reclamação sobre o quanto João Pessoa é inerte mas sem nenhuma ação devido a egos inflados desprovidos da capacidade de dialogar e respeitar diferenças vai levar essa porra toda pra merda e vamos ser um grande esgoto a céu aberto de idéias que morreram antes mesmo de crescerem e procriarem(hehhe). acho que aquela bandinha metidinha a moderninha e descolada, mas que não tinha nada demais resumiu nossa atitude perante ao que nos cerca. Somos malditos tamagochis sempre dispostos a depender. Sinceramente ta mais que na hora de perder o controle e mostrar que rock'n'roll domesticado não é o forte da nossa humilde vila. É isso não é questão de dar uma de rebelde e todos juntos vamos salvar o rock paraibano. É UMA QUESTÃO DE BOM SENSO!

9 comentários:

Enslav3d disse...

é muito facil falar mesmo, vejo algumas pessoas comentando (pessoas de bandas) que a cena não existe que só tem modinha, que ninguém apoia, mas a mesma pessoa só por tocar em banda fala isso, pois nunca o vi em nenhuma festa que role, mesmo tendo o som que agrade aos ouvidos... então pq acreditar numa porra que que está "dentro" da cena fala e não faz...? eh mais fácil ficar no computador escrevendo e achando que está ajudando, do que gastar 3 mizeros reais para ajudar a crescer o rock e se divertir!

Alfredo disse...

Acho que nem se pode culpar tanto a galera das bandas, foda é você tocar pra gente que não gosta de música e sim de moda. Parece que os acordes paraibanos são mais toscos e frágeis que os demais... foi preciso chamar o Zeferina Bomba como um "destaque de fora" pra que a galera aki começasse a curtir. Esse tipo de merda, na minha opinião, é o que mancha todo o esforço que nós, bandas do bom rock n' roll viceral paraibano, fazemos pra levantar a porra de uma bandeira que ninguém parece reconhecer. Se você faz uma demo pra vender por aki. é bom que vc seja uma banda emo ou algo parecido com o que rola pela MTV, caso contrário dê seus pulos pra mandar pra fora e reze pra que ngm lah fora pense como os ratos brancos daqui. Acho que a primeira revolução tem que começar com a mentalidade do público e não com as bandas que tocam inúmeras vezes apenas pro mesário. É falta de respeito um músico faltar um evento, mas nunca é falta de respeito o evento faltar com o músico, ora por favor... sejamos mais cerebrais.

fabioviana81 disse...

chega de se emputecer e não fazer nada. chega tbm de se preocupar com panelinha, com banda de modinha, com público desmotivado. a gente tem que reagir, passar por cima de panelinha, panelão, unir todas as bandas, sejam de modinha, sejam as mais "trueza" do mundo e não esperar por público, mas FAZER um público. é assim que se faz uma cena num lugar como joão pessoa... INVENTANDO. ela não vai brotar do chão não, a gente precisa se organizar, criar uma relação interessante de interdependência e apoio entre todas as bandas alternativas aqui, quer dizer, todas as bandas da cidade que não cobram 500 reais pra tocar cover de jota quest no incógnito. vamos juntar todas as bandas de verdade nessa rede de colaboradores, de associados mesmo. mostrar que a gente pode sim criar um público bom, fiel, e que pra isso só basta organização, investimento sério e, principalmente, interesse sincero. e só as bandas podem estar interessadas por isso.. não vale a pena esperar por organizadores de eventos que não têm banda aqui, nem compromisso com bandas daqui, mas apenas com o seu próprio bolso.

Ana Carla disse...

Falou a sabedoria etílica de Jampa.Bem vindo a blogosfera!!!!
Nasce um contista do submundo de Jampa!!!E tenho dito!!!

Érika disse...

hé... apoiado Igor... por isso sou sua fã!

as bandas tem q dar o proprio sangue (as vezes literalmente) pra serem um pouco reconhecidas no proprio estado ou cidade... e as vezes nem assim reconhecem... se isso vai mudar... seria otimo se mudasse... más... =/

nostalgia-perdida disse...

rapaz o negocio e bota p frente a lutar e fazer som organizar som e tocar , tipo o poder publico ta pouco se lixando p os musicos da pb, e tambem tem o lance de haver um muro que separa pb do sul o lance e fazer por aqui e ver o que vai da.

lulavr disse...

"Mas é que se agora pra fazer sucesso, pra vender disco de protesto, todo mundo tem que reclamar." Pois é Raulzito, pra fazer sucesso e vender disco tem que balançar a bunda. (infelizmente) Será que o rock está fadado?? JAMAIS
Como diria (quem diria) Reginaldo Rossi: "Pode avisar pra todo mundo, o Rock vai voltar"

geraldo_2022 disse...

O texto explode na nossa cara! É... Elvis, Devo e Dead Kennedys, uma mistura pra lá de explosiva.Continua escrevendo...principalmente quando tiver puto.

geraldo_2022 disse...

O texto explode na nossa cara! É...Elvis, Devo e Dead Kennedys uma mistura pra lá de explosiva! Continue escrevendo cara...principalmente quanto tiver puto.