sábado, 25 de agosto de 2007

Onde fica o banheiro?

Outro dia surge esmagando todo o anseio que você um dia teve em levantar da cama. Olhando pro teto e lembrando do dia anterior e se perguntando porque as pessoas lembram do amanhã se ele ainda não passou. Talvez o futuro seja como o seu ônibus numa madrugada no terminal que mesmo que não tenha passado ainda, você sabe que precisa lembrar dele, que esta vindo e que precisa agarra lo como uma criança buscando abrigo nos braços da mãe, pois se esse passar vai demorar muito pra aparecer outro ônibus. Continua a olhar pro teto que nada lhe diz e que sem dúvida n é nenhum incentivo pra levantar alguém da cama. Ele te encara branco, frio e sem dizer uma palavra que seja um bom motivo pra saltar da cama e encarar o dia.
Se contorcendo na cama em espasmos inquietos como um apelo por uma única razão realmente interessante pra sair dali, escutasse passos e vozes daqueles que ja acharam suas razões. O que seria preciso? não se sabe mas o tempo corre sem pretensão alguma de esperar e maldito rélogio que com muita dificuldade você consegue alcançar te joga na cara o maldito tempo que nunca espera. Seria estudidez achar que ele iria esperar. As paredes te fazem lembrar de confissões e lamentos que ja perderam o sentido que um dia talvez tenham tido mas eu tenho sérias dúvidas quanto a isso meu chapa. Talvez seja a idade e seus estúpidos questionamentos e crises existênciais que mais parecem uma dessas reprises sem fim que rolam na sessão da tarde. Mas não se vive de vale a pena ver denovo.
O almoço está perto e ainda enraizado na cama a urgência por algo que te tire dali ja se tornou um desespero mudo, silencioso que so o escuro do quarto conhece. Por um instante não se pensa mais em nada e resta apenas um limbo mas aos poucos se retorna ao ponto de partida e se escuta os mesmos passos e as mesmas vozes de ontem, hoje e quem sabe de amanhã. De amanhã so se sabe que a ninguém pertence. Mas com um certo sacrifício se volta ao hoje e lentamente começa a ensaiar a sua saída da cama como uma escalada até o topo de uma montanha, tão alta de dificil acesso e enquanto isso se pensa em que as vezes as coisas não estão bem, mas o problema é quando as vezes é sempre. Um instante vitorioso quando se consegue sentar na cama. Agora é so colocar os pé no chão e levantar. Conseguindo isso você se vê tomado por uma motivação que consegue ser relevante pra te tirar do conforto de um colchão macio. Você se rasteja até o banheiro e abre o zíper encarando a privada e logo chega o alívio junto com a confirmação de ter achado um bom motivo para se levantar e encarar mais um dia apenas mais um, mas com uma diferença. Você realmente queria mijar e nada mais importava naquela hora pois as vezes as coisas não estão bem.

5 comentários:

Palavras do Lobo-Mau disse...

Poxa iguliu, assim vc me lasca...
http://www.fotolog.com/wendigoo/10501179
aki tem uma citação d um palestrante especialista no assunto...O passado sempre foi igual a hj em dia, não importa quanto tempo passe,o passado é nosso unico "manual da vida".
PS:putz kra...crises acontecem, to na crise dos 20 agora...=/

geraldo_2022 disse...

Hoje em dia pra sair da cama só se for pra mijar ou cagar mesmo, não tem nenhum motivo mais nobre do que esse... Valeu, cara! Continue escrevendo.

HARRISON disse...

pois é.. levantar dps da gandaia é pêso! mas tem q almoçar, mamãe fica insistindo...

realmente, um saco!

Daniel disse...

oh yeah

simone disse...

\o/

eu kero so comerrrrrrrrrrrr