quarta-feira, 23 de abril de 2008

Abril Pro Coma

Não escondo a surpresa que após perder shows de bandas como Stooges,Sonic Youth,Pixies e Mudhoney por motivos finaceiros e também pela distância dos locais onde fizeram shows,geralmente no eixo Rio-São paulo, confesso que me empolgou muito a idéia de ver bandas como New York Dolls e Bad Brains em Recife que é tão pertinho de nossa provinciana João Pessoa e ainda mais no festival Abril Pro Rock que geralmente tem preços acessiveis pras tais apresentações. Logo garanti minha vaga na van para o primeiro dia deixanddo a grana la na Música Urbana e aguardando ansioso o grande dia em que iria beber ouvindo rock de verdade.
Chega o dia 11 de Abril e estou no posto ja comprando meus mantimentos indispensaveis pra qualquer viagem que também me acompanham diariamente sempre que possivel(leia-se cigarros e bebidas). Com uma vodca em mãos e a carteira de cigarros no bolso eu podia entrar na van e me "aquecer" pro show que tanto esperei. Mas a viagem com uma vodca sozinho bebendo ela sem nada,no seco mesmo,pura tornou a viagem bem mais divertida e por sorte tive reforço quando um amigo mais ou menos na metade do caminho decidiu me ajudar a beber. Descendo da van tombando logo percebo que precisava mijar e segundo me lembraram fui numa especie de lago que tinha na frente do Chevrolet Hall(local onde seria realizado os shows) e quase cai na porra do lago e ainda engalhei o pé num troço la e meu amigo ja tava meio apagado(mias tarde acabou tomando glicose). Hora de entrar e aprontar mais, mas não antes de comprar o ingresso, que ficou a cargo de outro amigo que pegou a grana de parte do pessoal e comprou os ingressos, mas o engraçado foi a nota de 2 reais que dei pra pagar um ingresso de 25 mas tudo bem, pois foi logo resolvido. The Sinks, reza a lenda, que passei um bom tempo abraçado na caixa retorno em algum transe alcoolico e creio que deva ter sido legal. Vamoz eu lembro de uma coisa ou outra e o que eu lembro so confirma que o show deles é sempre bom de se ver. Project 666 é uma banda que nunca me chamou atenção mas como ja tava totalmente embriagado continuei curtindo la e devia estar achando que era outra banda. Mas o pior(melhor?) estava por vir.
Depois de tomar um cafezinho e dar em cima da menina que tava vendendo café e que por sinal tava trabalhando com o namorado que estava ao seu lado so me resta o consolo de que segundo meu camarada, o fato de que a garota era uma gata e logo apos resolvo um mal entendido com um chapa de longa data e fico na espera pras próximas atrações que eram as que tanto ansiei por ver. Zumbis do Espaço é uma banda que ja acompanho a um bom tempo e sempre tive vontade de ver um show mas o que me recordo bem foi quando tocaram "mato por prazer" que pra mim é uma das melhores e não tem como esquecer o chapeu de cowboy que Thor,o vocalista usava. Um reggae causou estranhamento no público mas logo tudo voltou ao caos quando do reggae o Bad Brains descambou pro hardcore old school que fez a fama dessa banda em plenos anos 80, no underground americano,quando toda uma cena se indignava com o então presidente Reagan. "I against i" eu lembro perfeitamente e foi um momento bem nostalgico porque conheci a banda atraves dessa música e do disco de mesmo nome. O Mukeka di Rato gerou a roda de pogo mais violenta e como eu estava em todas que rolaram nos shows ja colecionava hematomas e depois da apresentação deles garanto que o número aumentou graças ao hardcore competente da banda. Na hora que tanto esperei, quando as "bonecas" iriam subir no palco eu acabei apagando em algum lugar perto do bar porém ainda vi alguma coisa e entre os flashes sei que tocaram "personality crisis" , "pills" e a cover de Janis joplin, "piece of my heart" e que o David Johansen tava meio parado enquanto o Syl Sylvian tava empolgado mas mesmo não lembrando direito do show uma coisa é certa, Johnny Thunders sempre vai fazer falta. Mas antes uma volta de uma banda antiga e clássica tocando músicas novas, com material novo do que dinosauros do rock tocando sempre os mesmos hits clássicos so pra ganhar uns trocadinhos. Acordo e vou pra van que ja me esperava e perco as esperanças de ir no segundo dia.
Acordo Sábado achando que não iria mas o cara que tava organizando a van me liga e fala que tinha vaga e que mesmo com a grana incompleta eu podia ir,então eu me arrumo correndo so pra ouvir depois quando chego la que o cara não sabe contar, pois não existe outra explicação ja que quando cheguei la o cara me disse que não tinha vaga em nenhuma das vans. É foda! mas a raiva na hora não me fez xingar ou desistir de ir, mas sim ir me encontrar com um amigo e uma amiga dele na rodoviaria pra ver como iamos. Num Monza vermelho com um motorista escroto do naipie do Seu Madruga e com um passageiro desconhecido pra gente que pareecia ser muambeiro ou traficante pois atendia a porra do celular a cada 5 minutos e ainda com uma trilha sonora bizarra de "umbrela"(música chata do caralho) pra baixo a jornada excentrica seguiu seu rumo. Quase no local onde tava rolando o festival o motorista pergunta que o tava tendo no Chevrolet Hall e quando respondo ele coloca logo um cd do Bob Marley pra se "enturmar" com a gente, "o povo do rock". Mal chegamos e um cara pula em cima de mim vendendo o ingresso e pela cara de viciado em crack(que é bem facil de conhecer) ele acaba me vendendo uma inteira por 25 reais(preço da meia entrada e garantia de duas pedras de crack que seriam fuamdas pelo cambista em algum lugar daquela cidaade esquisita). Na frente encontro alguns conhecidos e amigos na frente esperando os portões serem abertos e quando vejo a minha grana depois que entro,percebo que os 20 reais do carro junto com os 25 da entrada e ainda a compra de uma camisa do New York Dolls por 16 reais(era 17) me deixaram com apenas 4 reais pra sobreviver, ou seja, nada de beber. Isso me deixou mal mas tinha boas apresentações pela frente.O Madalena Moog inicia tudo fazendo um show bem bacana. com presença de palco e um som que ajudou muito a banda que tava num pique que me lembrou o Buzzcocks. Melhor show deles que eu vi e confesso que não gostava da banda no inicio com a antiga formação mas essa nova ta bem legal e eles ainda fizeram piadinha comigo porque eu não lembrava direito do primeiro dia que tocou os Dolls. O Erro de Transmissão foi um erro mesmo, com seu som sub-Pitty não me chamou atenção o que ja não aconteceu com o Sweet Funny Adams que me surpreendeu com seu rock'n''roll setentão com influencias do pos-punk do Gang of Four. Se eu tivesse grana na hora compraria a demo dos caras sem pensar duas vezes. Logo na sequencia rola a bobagem chamada Barbiekill que faz esse sonzinho hype sem graça que mescla indie-funk-eletro- punk de boutique. Uma moda sem graça e inutil que veem sendo reproduzida a exaustão na cena uderground depois do sucesso de CSS e Bonde do Rolê, que certamente a dois anos atras seriam bandas repudiadas pelos indies mas como é moderno e descolado gostar disso agora então ninguém fala mais nada.
No palco principal o show de Céu so me fez ter certeza de que prefiro o inferno. Todos amaram o show da cantora de mpb que tem uma super banda,espetaculo bem produzido,mescla dub,reggae,trip hop e outras vertentes mais tranquilas da música eletrônica a sua mpb de sempre que ontem era a mesma coisa elitista, sem graça que é sempre sofisticado dizer que gosta e pra quem não gosta so resta o rotulo de ignorante e sem cultura. Pois bem, eu sou um grande imbecil pois simplesmente não me tocou o som dela que é muito bem feito mas não me fez sentir a música pulsando nas minha veias. Autoramas e Wander Wildner dispensam comentarios. Não me arrependo de nenhum show que vi deles e o mesmo aconteceu dessa vez e acho que o único porém foi o show com tempo limitado porém isso era mais do que justo com as outras bandas. Foi massa ver o Autoramas tocando Little Quail(banda que o Gabriel tinha antes do Autoramas) e o Gaucho brega punk deu um toque carnavalesco a alguns de seus clássicos.Vitor Araujo era um peixe fora d'água, o jovem pianista pulava em seu piano e conversava com o público entre as músicas e encerrou com "paranoid android" do Radiohead mas acabou sendo um corta clima e apesar de ter achado legal não achei que o cara é esse pianista tão revolucioanrio que falaram. Ele foi muito mala pra blefar e tentar agradar o público que acabou ficando divido na hora em que ele estava no palco. Violins foi broxante! falaram tanto neles mas o que vi foi uma banda indie sem graça,insosa que não faria neenhuma falta se não tivesse se apresentado. Rockassetes foi bom mas ja vi shows melhores. Júpiter Maçã deu uma roupagem mais rockão anos 70 pras suas canções psicodelicas lembrando em alguns momentos o melhor de Bowie e Stooges e teve seu auge com "lugar ddo caralho" cantada como hino pelo público que mesmo cansado interagiu bem com a maioria das bandas. Superguidis com seu som guitar band anos 90 e o Datsuns que veio da Nova Zelândia fazendo um som meio hard rock na linha do AC/DC também foram boas surpresas mas podia ser melhor, o número de bandas estava sendo algo cansativo no segundo dia e muitos estavam exaustos.
Pata de elefante ficou com a dificil missão de encarar o pessoal cansado e ansioso pelo show de Lobão. A banda faz um som instrumental que tem umas pitadas de progressivo mas que foi prejudicada pelo cansaço da maioria presente. Lobão teve seu show malhado por alguns pois so se centrou nos hits de sua carreira, mas eu não esprava algo diferente ja que a apresentação era baseada no acustico que o mesmo fez pra MTV, ou seja mais do que previsivel o repretorio mas foi executado com competencia. Fim de festival e muito lixo no chão, eu que ja tinha falado meu drama pra voltar pra casa pra boa parte dos companheiros Pessoenses acabei descolando carona na van do Madalena Moog e quando a van para na Rui Carneiro onde de la, eu e um amigo fotografo que tinha ido trampar no Abril vamos até a Epitacio pra pegar um ônibus mas o cara tava morto e acaba pegando um táxi e como moro no mesmo bairro vim junto, e quando desço do carro e vou pra casa debaixo de uma chuva matinal que havia começado e servia como recepção nessa volta a cidade de origem, penso em como foi divertida a minha aventura estranha em Recife. So posso chegar a conclusão que to devendo essa pros amigos que quebraram o galho e que na próxima vez eu tenho que beber no segundo dia também. Bebado eu podia ter achado o Barbiekill ao menos suportavel. Pra quem vai no terceiro e pior dia, com Gamma Ray e Helloween eu so desejo boa sorte e pra quem fica eu espero poder ter umas doses de cachaça pagas pra matar o tédio um pouquinho.

(não poderia esquecer de agradecer a Degner, pois se eu tivessse dio de van no segundo dia meu fim de semana não teria sido tão legal quanto foi heheehhe)

6 comentários:

ketyucia disse...

auhuhauhauhuhahua
meo deos :O
emocionante huauhahuuh
x~~
igor bebum xD

copiadequalidade disse...

hehehhehe
carai
deu até vontade de ter ido.
agora só em sonho e olhe lá!

massa bebum
texto grande do carai, mas sempre com aquela impressão de que é vc quem tá me contando, e eu te chamando de abestalhado, entornando um copo de natasha com fanta uva... hehehehe

=***********

copiadequalidade disse...

copiadequalidade é uma tentativa que eu, marla miná, tive de criar um blog pra mim.
mas broxei
hehehhe
então nem vá olhar, eu tenho vergonha.
como diabos eu apago isso, hein?

desligaa disse...

legal, devia ter ido ;[

mala sem alça disse...

eu num tinha o que fazer, aí criei um blog.
acho que esse voga

=************
marla

Polly... disse...

caralho
q massa
eu adorei tudo isso
meu faz tempo q nao falo cm vc
estou cm sinceras saudades de vc
me lembrei de vc ontem ao responder a pergunta:
seu amigo q mora mais longe mora onde?
igor na paraiba
=)
saudade de vc
;***