terça-feira, 22 de julho de 2008

Enterre essa idéia!

Os dias tem passado arrastados presos a correntes que insistem em te prender a porra do ontem inútil com seus arrudeios em círculos que insistem num ciclo cheio de repetições indiferentes e tediosas. Sabe aquelas conversas que você sabe que n servem pra nada e que o final se pode prever quando se profere a primeira frase do dialogo? pois é os dias tem sido assim como você e eu um belo de um clichê estúpido mas você se nega a admitir pois se acha interessante e especial demais pra encarar tal fato. O tempo distante de tudo, do tudo que poderia ter sido feito e parece importunar com seu lamento constante mas agora é tarde pra olhar pra trás quando na sua frente tem um nada, um vazio amanhã que precisa ser algo como hoje talvez seja. A coisa toda segue como uma estúpida sala de espera de algum consultório médico onde você espera achar a solução final com uma dose letal de algum veneno esfola tédio. Mas salas de espera tem o seu desenrolar cheio de doentes monótonos e revistas medíocres como a CARAS, revista que por sinal ainda n se identificou a função dela e muito menos se pode dizer que é uma tarefa possível a de entender os seus leitores. Enrolam demais com tantos conceitos e ainda abrem a boca pra dizer o que é a vida mas eu ficaria feliz se todos enfiassem a suas teorias e filosofias tão preciosas no cu pois se alguém soubesse o que é viver realmente esse alguém n iria viver até porque talvez se tocasse do quão chato isso pode ser. Paciência e criatividade são coisas que alguns tem de sobra mas eu fico aqui com minhas repetições sem graça como toda a cidade das poses com seus habitantes cheios de pose não se pode esperar muito de quem não se encaixa nisso tudo a não ser a atitude de ir de encontro a tanta farsa. Mas ir na contramão é a velha historia de dar murro em ponta de faca. Você acaba sem grana,sozinho,bêbado,se torna uma piada local e daquelas que n arranca risos nem de um completo demente. Mas veja o lado bom, se você tiver sorte alguém vai dizer que você era genial, isso claro depois que você estiver morto. Necrofilia é algo normal quando alguém percebe que fulaninho era importante. Bajular e ser bajulado é algo que mantém esses seres racionais e tão interessantes sustentando toda uma sociedade desigual que não tem nada mais a oferecer a não ser a porra de um rotulo pra que você seja um produto mais atrativo. Seja você também a merda de um alicerce pra mesquinha e egoísta jornada humana em busca da evolução, a evolução dos círculos correndo atrás do próprio rabo. No fim das contas você deve a vida como todo mundo. Ontem tudo parecia uma reprise da sessão da tarde e fique certo que amanhã tem reprise novamente e nunca se sabe até quando vai ter. Mas nunca mesmo valeu a pena ver de novo.

3 comentários:

Kumamoto disse...

ciclico ate demais, porem a gente pode colocar a mao nessa vida e girar pro lado contrario so pra ver o que acontece! :)

ne nao?

Clarissa Marinho disse...

Ciclos,dias,noites...só acho que dá pra ir vivendo sem precisar morrer todo dia,ou sei lá...
Muito bom o texto,daqueles teus que a pessoa lê e não fica indiferente.
=*

amanda disse...

"a evolução dos círculos correndo atrás do próprio rabo" kkkkk é assim mesmo que as pessoas se comportam. eu penso que pra amenizar isso é preciso achar a linha que separa a sobrevivencia da liberdade, viu ela por aí?