quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Cadeira elétrica

Cuspa suas verdades a queima roupa
Com requintes de crueldade
Suas verdades sobre mim
Numa página policial
A justiça é cega mas não errou a pontaria

Seu receio em arriscar reconstituir o crime
Provas concretas de sua contradição
Atestam sua culpa
Um homicídio sincero
Mas quem esta mentindo?

Assassino ou vitima

Todos somos um delito
Sempre um infrator
Todos condenados a condição humana
A maior pena de morte conhecida

4 comentários:

Clarissa Marinho disse...

Bem escrito.Embora eu não ache que a condição humana seja uma pena de morte,acho que é mais tipo uma sina,o que somos e etc mas gostei do texto!
=)

Limbonauta disse...

Achou sua pena? então pague: isso vale a pena.

geraldo_2022 disse...

Poesia pura! Dura e cruel! Quem tá preparado pra ouvir isso? Quem? É bem mais fácil colorir a vida e viver na ilusão total! Bota pra descer Igor!

simone disse...

senti falta do seu sarcarmos
\o/

so isso